[2/5] CONTINUANDO (VIDEO AO FINAL)...

Oportunistas vão dizer que isso NÃO importa.

Puristas vão dizer que isso é TUDO que importa.

Eu te digo que isso, sem o Pilar #5, não adianta de muita coisa (você vai entender o porquê).

PRODUTO!

Algumas características que eu percebi ao longo da minha jornada até chegar ao TOP1...

Uma empresa que visa longevidade e um grande mercado consumidor precisa de dois tipos de produtos: commodities e produtos exclusivos.

Falando de "commodities" me refiro a produtos que não podem promover uma quebra de rotina.

"Commodities? Quebra de rotina? Como assim, Lorran?"

Deixa que eu explico.

Tem coisas que a gente já faz no automático todos os dias: tomar banho, usar shampoo, passar perfume, usar hidratante, fazer barba, escovar dente, ir ao banheiro, lavar as mãos, etc.

Pelo menos eu faço, rs.

A questão é: a gente consome produtos sem perceber pra fazer tudo isso. Já tá no nosso DNA... é rotina.

Sabonete, desodorante, creme hidratante, espuma de barbear, shampoo, enfim! Todos são commodities.

Todos esses produtos tem alto poder de recompra para consumo e venda, e não promovem uma quebra de rotina pra serem adquiridos.

Eu diria que isso é o básico pra empresa tem SOLIDEZ de ganhos para os distribuidores envolvidos.

E importante ressaltar que quanto melhor a identidade visual do produto, a qualidade do conteúdo e preço se adequa a realidade do Brasileiro, maior a movimentação de produtos.

Consequência: maior o bônus do distribuidor $

Falando de produtos exclusivos, empresas que trabalham forte no desenvolvimento de produtos inovadores e exclusivos saem na frente do mercado.

Quando você tem um time de pessoas com produtos que só a SUA empresa tem, você tem alto giro de produto e consequentemente pessoas graduando e crescendo dentro do projeto.

Não necessariamente esse produto precisa ser barato, caso ele ofereça a solução de um problema ao cliente final, a rede pode trabalhar com boas margens de revenda e alta lucratividade, por isso é importante a empresa estar SEMPRE inovando.

Outro ponto IMPORTANTE a ser analisado é:

Um jeito fácil de você saber se o seu produto é BOM mesmo é olhar pra sua empresa e fazer essa perguntinha:

"Essa empresa já existia e competia no varejo ou ela foi criada pro Multinivel?"

Isso muda absolutamente tudo. Te explico o porquê.

Vamo falar um pouquinho sobre o processo natural do varejo.

Lá a concorrência é tipo... MUITO maior.

Só imagina seu produto entrando na prateleira de um supermercado ou em uma farmácia.

Ele vai concorrer com 100 marcas, e não com 10, como é no Multinivel.

O varejo é cruel.

Cada etapa desde a escolha da embalagem, até levar o consumidor a comprar seu produto é uma etapa a ser pensada cuidadosamente se você quer sobreviver nesse mercado.

O processo é inconsciente, mas na nossa cabeça, são as escolhas que fazemos ...

... embalagem bacana, preço justo, qualidade legal.

"Vou levar!"

A premissa que eu quero levantar é:

Se a empresa vem com um histórico promissor do varejo, ponto pra ela!

Sabendo disso, você já entende como isso reflete a preocupação do fabricante com o produto desde a embalagem até o conteúdo, que por sua vez, influencia diretamente na recompra e na sustentabilidade da empresa.

E aí? Tá começando a ligar os pontos?

Eu falo mais um pouco sobre isso no vídeo aqui embaixo.

Então assiste ele agora e depois bora pro 3º Pilar.

CONTINUAR PRO 3º PILAR →